A HISTÓRIA DA ASTROLOGIA

 

 

A PRIMEIRA CIÊNCIA HUMANA

.

.

Fonte: Coleção Mitos, Deuses, Mistérios - Vol. A Atlântida - Geoffrey Ashe. Pg. 35

"A Astrologia é a ciência que investiga a ação dos corpos celestes sobre os objetos animados e inanimados, e a reação destes a essa influência"

Marion D. March e Joan McEvens

 

 

 

 

 

Segundo Llewewllyn George, autor do livro "A to Z Horoscopo Marker and Delineator", de 1910, "A Astrologia é a primeira ciência conhecida pelo homem e hoje reconhecida como mãe de todas as ciências. Uma ciência que é definida já no seu nome, que teve origem em duas palavras: Astra (Estrela) e Logos (Razão). Ou seja, a doutrina e a lei como é mostrada pelas estrelas ou planetas.

 

 

HISTÓRIA DA ASTROLOGIA

 

 

Fala-se que pastores, tomando conta dos seus rebanhos, preenchiam seu tempo observando os fenômenos da natureza em busca de orientação sobre o tempo. Através da observação, mesmo rudimentar, pois viviam precariamente a céu aberto, eles começaram a perceber que existiam leis que regiam os movimentos dos corpos que se deslocavam na incomensurável grandiosidade do firmamento, e que essas leis incidiam sobre eles e as coisas que os cercavam.

Foi assim que nasceu a percepção das influências astrológicas, e, através dessas observações, eles passaram a buscar respostas para fenômenos como trovões, raios, eclipses, calor, inundações guerras.

Através da avaliação do tempo em função da marcha do sol, eles foram relacionando certos aspectos celestes com acontecimentos na Terra, percebendo que dados momentos eram  mais propícios para plantar, colher, acreditando que esses fatores eram provocados por um ser superior. Daí passaram associar fatos a certos planetas, delegando a cada um poderes físicos, simbolizando-os como Deuses que podiam intervir na vida humana.

Assim, passaram a criar técnicas científicas para conhecer e predizer as influências das forças cósmicas sobre a vida humana.

Observando que as estrelas seguiam uma ordem física, criaram técnicas científicas para conhecer e predizer as influências das forças cósmicas sobre a vida.

Alguns autores atribuem à Babilônia e províncias vizinhas, a adivinhação pelos  astros  na  sua  forma codificada. Outros dizem ser a Mesopotâmia em 8.000 a.C. a pátria de origem por excelência, dividindo esse título  com  o Egito. Fala-se ainda que os Assírios, povos asiáticos, que tinham como divindade o Sol e a Lua, teriam criado o zodíaco.

Mas retrocedendo um pouco mais no tempo, encontramos uma informação de que o berço da Astrologia teria sido a Atlântida (a oeste do estreito de Gibraltar). Um gênio atlante concebeu o primeiro zodíaco e criou a primeira ciência humana – A Astrologia. Os atlantes eram uma civilização altamente evoluída que teria emigrado (na época do esplendor) para diversos recantos da Terra,

espalhando por onde passavam os frutos sua adiantada civilização. Os assírios e caldeus provavelmente herdaram o conhecimento astrológico dos evoluídos atlantes, e esses conhecimentos atingiram a Suméria, Mesopotâmia, o Egito, China, Índia, Grécia, chegando até os nossos dias.Documentos baseados em descobertas arqueológicas comprovam que a prática astrológica fora trazida da Ásia, onde encontraram diversas tabelas planetárias gravadas em tijolos, assim como todos os documentos escritos que remontam aos sumérios, caldeus, assírios e babilônios.

Tabuleta  para  registrar cálculos astrológicos  

 

 

CONSTRUÇÕES MEGALÍTICAS

 

 

Foi em todas as velhas civilizações da Mesopotâmia que encontrou-se a existência, no clero, de uma categoria de padres adivinhos que, baseados nos conhecimentos dos movimentos precisos dos astros, podiam interpretar presságios, sonhos, etc... Com a função de calcular as rotações anuais planetárias, passaram a fazer construções megalíticas que serviam como observatórios astronômicos. 

Eles criaram os Zigurats, torres que ficavam nos grandes templos, de onde observavam com precisão o movimento dos astros no céu e desenvolviam os cálculos para precisar datas de eclipses lunares e solares, tal o conhecimento que detinham da Matemática.

Zigurats ou Atalais, construídos em forma de pirâmides gigantescas  

É a eles que se deve a elaboração das divisões comuns do calendário dos dias, horas, meses e anos usados até hoje..

A arqueologia também descobriu, nas ruínas de Nínive, a biblioteca do rei assírio Assurbanipal, onde encontrou um dos mais significativos documentos antigos – tábuas que reproduziam a cópia (realizada cerca do ano 700 a.C.) de uma coleção astrológica elaborada numa data mais antiga, do rei Sargon, o antigo, que previam acontecimentos coletivos. A esses conhecimentos só tinham acesso os soberanos. Só por volta do ano 250 a.C. é que as predições astrológicas passaram a se popularizar.


PRÓXIMA


"Só se vê bem com os olhos do coração"

(Saint Exupéry)